mulher carregando livrosAs obras literárias são livros compostos de histórias, ora fictícias, ora não. Elas podem vir no formato de poesia – em versos – e em prosa – demais tipos de escritas: romances, contos, artigos, ensaios, relatos jornalísticos, peças de teatro, histórias infantis e afins. Aqueles belos contos em que o mocinho se apaixona por uma linda mulher que é noiva de um homem mal, mas, ao que tudo indica, o moço bom deve ficar com a bela moça – típica história das novelas.

Esses escritos podem, também, contar a realidade do momento passado por uma nação. Existe uma facilidade em conseguir inserir o contexto vivido nas histórias. Quando os portugueses chegaram ao Brasil, não se depararam com cidades urbanizadas repletas de construções. Pelo contrário, encontraram lindas paisagens e gente nua – para alguns, literalmente.

Como dito no parágrafo anterior, o momento vivido era de grande choque. Os primeiros contatos que os europeus tiveram com o Novo Mundo, mais especificamente com o Brasil, foram por meio das cartas escritas por Pero Vaz de Caminha. O conteúdo delas, nada mais era do que informar o El Rey D. Manuel; contudo, se tornaram literatura.

A informação nada mais é que um conto, todavia, verídico. As cartas eram basicamente um diário, em que Caminha contava o cotidiano, os choques culturais, etc. Imagine os europeus, cheios de roupagens, com orientação católica e, na época, ficavam nus somente entre quatro paredes. De repente, chega uma índia completamente sem vestes dentro da igreja: um baque.

As obras literárias não deixam de ser contos de uma pessoa que observa o mundo com um olhar diferente e sempre está atenta aos detalhes. Há uma questão bem curiosa: nas obras literárias, conseguimos nos identificar com os personagens. As pessoas criam vínculos com eles. Um exemplo disso foi a febre que causou a série de livros “Crepúsculo”, de Stephenie Meyer.

Outra obra famosa são os vários livros da coleção “Harry Potter”, da escritora J. K. Rowling. O bruxo e suas histórias conquistaram milhares de adolescentes que viajavam em suas peripécias. Mais uma obra recente que conseguiu adeptos do mundo inteiro foi o livro “Senhor dos Anéis”, J. R. R. Tolkien.

A literatura brasileira é de uma riqueza cultural enorme. Algumas delas contam as dificuldades que uma pessoa passa, os problemas que tem pela frente; porém, cada qual com uma característica distinta. Machado de Assis era um escritor bem divertido. Embora há quem o ache prolixo, ele interpelava com seu leitor de forma cômica. Por isso, não injustamente, recebeu o título de maior escritor brasileiro.

Já outros produtores literários têm a capacidade de pensar em histórias fictícias que se aproximam bastante da realidade. Muitos escritores idealizam personagens que ganham fama e conquistam as pessoas. Quem nunca se impressionou com a inteligência e palpites certeiros do detetive Sherlock Holmes? Para quem nunca leu, leia e verá. Um personagem cópia dele, devido à arrogância, os palpites e a falta de um lado sentimental, é um dos doutores mais famosos, interpretado pelo ator Hugh Laurie, o Dr. Gregory House, do seriado Dr. House, de David Shore.

Enfim, para não fugir das obras literárias e entrar nas produções do cinema ou televisão, a literatura cresceu no período da Idade Média, de onde surgiram as sátiras e as palavras de baixo calão na escrita. A ironia também é outro segmento da época. Hoje, é fácil ver nos textos, principalmente dos comediantes, a presença desses elementos – herança das antigas obras literárias.

Literatura de Massa

livros empilhadosExistem pessoas que têm paixão por leitura. Outros acham uma coisa bem chata e monótona e preferem assistir à televisão. A verdade é que há várias obras literárias que ficam famosas entre o público e acabam vendendo milhares de exemplares. Quando se chega a esse nível, o livro vendido ganha um status: Best-seller.

A Bíblia Sagrada é o livro mais vendido no mundo. São, de acordo com o Guinnes Book, mais de 2,5 bilhões de exemplares que foram adquiridos entre 1815 e 1975. Agora, estima-se que esse valor tenha dobrado. Outras obras como: “Citações do Comandante Mao”, o Corão, “A Verdade que conduz à vida eterna”, “O Senhor dos Anéis” e “Harry Potter” ultrapassam a marca dos 100 milhões de cópias.

Alguns livros são, até hoje, campeões de vendas em nível mundial. “O caso dos dez negrinhos”, de Agatha Christie; “As crônicas de Nárnia”, de C. S. Lewis; o próprio “Guinness Book”, o livro dos recordes; “O código da Vinci”, de Dan Brown; o “Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry; “O Alquimista”, de Paulo Coelho;

Em contrapartida, nem todos os mais vendidos aparecem como mais lidos, por incrível que pareça. Os mais lidos no mundo inteiro – não deixam de ser best-sellers também, são, de acordo com a livraria Shop-livros:

“Crime e Castigo” - Dostoievski

A obra é um romance publicado em 1886 e conta a história de um jovem pobre, que cursa a faculdade de Direto e planeja o assassinato de uma agiota. Quando fugia da cena do crime, foi obrigado a cometer outro delito: mata a irmã dela, que havia aparecido no local.

“Dom Quixote” – Miguel de Cervantes

Dom Quixote é um romance que foi lançado em 1952. Ele vivia na zona rural e seu passatempo predileto era ler os livros de cavaleiros e aventuras. De tanta leitura dessas ficções, desejou se tornar igual a um de seus heróis: um cavaleiro. Em suas aventuras, é acompanhado por seu fiel escudeiro, Sancho Pança. Quixote tinha a imaginação muito fértil, o que contribuiu para suas alucinantes aventuras.

“Hamlet” - William Shakespeare

Hamlet é uma das mais ilustres obras de Shakespeare. É considerada como a mais filosófica. A história se passa basicamente por monólogos. O protagonista é o Príncipe Hamlet, da Dinamarca e filho do rei Hamlet e sobrinho do rei Cláudio, sucessor do trono. Cláudio casa-se com Gertrudes, mãe do príncipe. No decorrer dessa trama, o príncipe Hamlet tenta vingar a morte de seu pai, que foi executado pelo rei Cláudio, seu irmão.

“A Odisseia” - Homero

Consiste num poema sobre as peripécias de Ulisses durante seus 10 anos fora de casa. A aventura começa após o término da Guerra de Troia, quando uma tempestade desvia o barco de Ulisses de sua rota. Ele havia deixado sua esposa, Penélope, para guerrear. O tempo que ele desaparece, faz as pessoas pensarem que está morto; dessa forma, quando volta, ninguém o reconhece. Então, ele é obrigado a derrotar todos os pretendentes de Penélope, para reconquistá-la.

“Cem anos de solidão” - Gabriel García Márquez

Uma das obras mais importantes da literatura latino-americana. A história se passa numa aldeia da América Latina, pequeno povoado de Macondo. Lá, existe uma família: Buendía – Iguarán. A trama será em volta das gerações dessa família. Há um pergaminho, em que está escrita a história dramática da família e que será aberto somente no dia que o último dela estiver à beira da morte. Cada descendente tem um perfil. Os Aurelianos são estudiosos e tentarão desvendar esse misterioso pergaminho, feito por Melquíades, o Cigano, que era amigo de José Arcadio Buendía: pai da primeira geração.

Esses são apenas cinco dos livros mais lidos no mundo. Obviamente, existem outros que não estão listados e com uma breve sinopse. Muitas dessas obras literárias servem de roteiro para os grandes cineastas, que aproveitam a história e, às vezes, conseguem um espetáculo. Tem pessoas que reclamam que os filmes estragam o enredo dos livros. Uma coisa é certa: a cultura, por meio das obras literárias, é riquíssima.

Literatura para Vestibular

caderno de anotaçõesO sistema de avaliação educacional para o ingresso nas Universidades, o vestibular, no Brasil, utiliza algumas das seguintes bibliografias:

Obras Literárias para Vestibular

De várias provas de vestibular, estes livros foram os que mais se repetiram, ou seja, caíram em quase todas as provas. É interessante para o vestibulando adiantar-se em relação a elas. Lembre-se que algumas obras também são cobradas em provas de concursos públicos.

  • O Cortiço – Aluísio Azevedo
  • Capitães da Areia – Jorge Amado
  • Vidas Secas – Graciliano Ramos
  • Dom Casmurro – Machado de Assis
  • Iracema – José de Alencar
  • I-Juca Pirama – Gonçalves Dias
  • Memórias de um sargento de milícias –Manuel Antônio de Almeida
  • A cidade e as serras – Eça de Queirós
  • Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis
  • O pagador de promessas – Dias Gomes
  • Macunaíma – Mário de Andrade
  • Morte e vida Severina – João Cabral de Melo Neto
  • Senhora – José de Alencar
  • Demônio familiar – José de Alencar
  • Ensaio sobre a cegueira – José Saramago
  • Triste fim de Policarpo Quaresma – Lima Barreto