Obras Literárias





Obras literárias brasileiras
 
leitura-livro-literatura-brasileiraAté o ano de 1500, o Brasil tinha uma cultura diferente. Aqueles costumes que alguns destes intelectuais tratam como cultura primitiva. Eram os recursos naturais e os índios vivendo pelo usufruto que os recursos naturais e a negociação dos mesmos com os franceses, que chegaram no continente antes dos lusitanos.

Mas os primeiros a chegar com os escritos aqui foram os portugueses. As cartas que o escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral, Pero Vaz de Caminha, ao El Rey Manuel, marcam o início da literatura no Brasil e dá origem ao primeiro movimento literário em terras brasileiras, o chamado Quinhentismo ou literatura de informação.

Recebeu esse nome devido ao conteúdo das cartas. Elas descreviam o Brasil e as coisas que tinham aqui, tal como os costumes, as pessoas, as belezas naturais, o clima e etc. O rei Manuel precisava saber com detalhes o local em que seria a futura colônia de Portugal. E ninguém melhor do que Pero Vaz de Caminha para detalhar o que se passava pelo Brasil.

A Carta de Achamento do Brasil foi a primeira obra literária nas terras do país verde-amarelo. No entanto, Caminha não era brasileiro. Era português, nascido na cidade de Porto. O Brasil ainda não tinha um escritor nativo. Esse, só foi aparecer muito mais tarde; Gregório de Matos Guerra, também conhecido por “Boca do inferno”, que surgiu no Movimento Barroco.

Com isso, deu-se início às manifestações culturais europeias no Brasil. O Padre José de Anchieta começou a produzir sua literatura, estudou a língua nativa – o tupi-guarani – e fez obras em vários idiomas: o próprio tupi, em português, latim e castelhano. Anchieta visava a catequização dos indígenas com suas peças teatrais.

A partir daí, os rumos das obras foi mudando, tomou um formato mais fiel de literatura. Os textos que relatavam as viagens e aventuras nos mares e as terras, tornaram-se sermões e escritos de cunho religioso – afinal, os jesuítas começaram a compor as histórias. Destaque,  também, para Padre Manuel da Nóbrega, que escreveu o “Diálogo sobre a conversão do gentio”, outra obra literária a fim de catequizar os índios.
 
As obras literárias são compostas por poesias e prosa. As poesias são  redigidas no formato de versos, conjunto de frases intercaladas resultando em estrofes, que montam histórias e seguem uma harmonia textual por meio de rimas. Mas não é necessário que se tenha rima; porém, ela preza por padrões estéticos.

As prosas são os textos escritos em parágrafos que não seguem essa linha de rimas, métricas, sonoridade, como, por exemplo, um livro técnico, uma norma, e se subdivide em romance, conto e novela. Ela é o contrário da poesia, por não se preocupar com um estilo, além de tratar dos elementos mais ligados ao raciocínio do que ao sentimentalismo.